FORJAR SORRISOS

13:21

 “Todo samba tem um refrão pra levantar o bloco; toda escolha é feita por quem acorda já deitado.”
Não é carnaval, mas ele ressurgiu das cinzas. Parece um folião caçoando com o meu coração. Eu fico a mercê deste jogo; alguns carnavais retrasados acreditava fielmente o quão ridículo embarcar nestes jogos, quando percebi estava deixando o celular sem bateria, para evitar atender ligações ao primeiro toque, forjando sorrisos e festas badaladas nas redes sociais. Ostentando uma felicidade, enquanto ficava em casa com um pijama meio gasto, repetindo séries, filmes, treinando palavras e sorrisos para ele. Eu estava jogando sem ter feito a inscrição no campeonato.
Ele não sabe os efeitos sobre mim; meu sorriso fica fácil, o coração acelera, minha temperatura aumenta frações de graus Celsius. Eu nunca reparei no espelho, mas há boatos que a minha pupila dilata tal qual o efeito de alguma droga. A sua ausência me causa calafrios, tremores, xerostomia, altera minha coordenação motora, permaneço em um estado apático, pouco me importando com o que acontece ao meu redor.
Ele surgiu, com a desculpa de sentir minha falta, alegando que a culpa do Reino Unido ter separado da União Europeia era minha, meu coração gelado era a solução para o derretimento das geleiras nos polos e se agora a minha cabeça não estava descansando no peito dele; a culpa era minha também.
Ele sambou encima do meu coração, fragmentou ele. Pequenos pedaços estilhaçados no chão; pedaços tão completos. Eu agradeço por isso, pelos pequenos pedaços inteiros, pelas certezas de não termos caminhado juntos; a vida tem destas coisas; e daquelas também.
Fica o aviso para retirar meu número do seu cardápio, não aceito quartas e não irei me encantar pelas sextas. Não aceito migalhas de pessoas inteiras. Eu nunca gostei de pular carnaval, prefiro pular fora dessa antes que a necessidade de você aumente. Superarei o vício ou o fato de falar sobre nós.
Eu prefiro ficar por aqui, com um arsenal de cartola e alguma receita milagrosa para fazer o cabelo crescer. Eu renovei meu contrato com a Netflix, desmarquei baladas imperdíveis. Eu preciso curtir o recesso de você. Todo carnaval tem um fim. O nosso chegou, aos poucos lembrar-me-ei de sorrir sem parecer uma obrigação, acharei graça em filmes que vimos juntos. Sairei por vontade própria, não para mostrar ao mundo e a ele que a fila anda, mas pelo simples fato que eu sinto vontade de sorrir e conhecer pessoas novas, não por uma necessidade fingida de parecer ser feliz sem a presença dele.





You Might Also Like

0 comentários