POR QUE A GENTE NÃO DEU CERTO?

20:51



     Parei aqui para pensar durante a madrugada e fiquei tentando saber qual foi o exato momento em que a gente se desprendeu um do outro e resolveu que não existia mais um nó transformando eu e você em nós. Logo eu, que achei que havia encontrado o meu refúgio doce quando estava sozinha com você. Logo você, que achou que eu poderia ser aquilo que você sempre havia sonhado.
    É difícil chegar em qualquer conclusão que seja, ainda mais quando você para e observa as memórias boas que cultivamos. Os sorrisos que foram dados espontaneamente no escurinho, os olhares confidenciais que diziam "eu te amo" de uma forma que as palavras jamais conseguiriam, os abraços que apertavam e seguravam todos os pedaços quebrados em um lugar só, os beijos que trocavam não apenas saliva, mas carinho, amor e cumplicidade. O que será que faltou no meio de tudo? No meio das manias que eu aprendi a gostar e os sonhos que eu aprendi a sonhar junto? O que será que faltou quando tudo o que precisava existir era aquele momento em que olharíamos um para o outro como se fossemos feitos de mágica?
   Pensei que talvez a resposta fosse simples: Eu. Mas quer saber de uma coisa, amor? Não fui eu. Apesar da minha pós graduação em fugir de situações que me deixem próxima demais de alguém com o potencial de me magoar, eu não fugi de você. Talvez eu tenha dado uns passos atrás as vezes, mas era só você chamar de um jeitinho diferente, que eu ia saltitando para a certeza do que era "gostar de outro alguém". Você nem percebia, provavelmente, que através dos meus gestos de admiração que eram de graça, eu estava me doando aos pouquinhos. Bem pouquinhos, mas doando.
  Depois, achei que fosse então, você. Que talvez você não tivesse sabedoria suficiente para comparar o que você sentia por mim, com o que deveria sentir ou imaginava que deveria. Talvez tenha sido sua paranóia de achar que o amor é perfeito ou especial demais, quando na verdade, nós é que nos tornamos perfeitos e especiais demais através dele, juntos. Pensei que talvez você tenha se enganado e gostar não seja nem um pouco parecido com amar alguém. Que talvez a gente tenha caído feio, mas não para o amor. Porque tudo em você não amava tudo em mim. Mas quer saber? Também não foi só isso.
  Então, sem querer, me peguei vasculhando momentos em que o fogo deveria ter incendiado a casa inteira e não achei. Talvez você ou eu, ou nós dois, só estivéssemos apaixonados pela ideia de estarmos, pelo sentimento que poderia trazer tantos vínculos e situações legais. Mas aí percebi que não, porque em algum momento super aleatório, o fogo não pegou nas cortinas ou no tapete da sala, mas pegou em mim. E caramba, foi difícil de varrer as cinzas agora que apagou. Agora que acabou.
   Meu amor, aí é que me perguntei novamente, por quê diabos a gente não deu certo, se tudo que a gente queria era dar certo? Talvez porque nós somos humanos, e temos o dom de destruir tudo o que tocamos, inclusive um ao outro? Acho que não, porque apesar da correria que muitos diziam ver acontecer, o que rolou mesmo aconteceu lentamente. Portanto, cheguei a conclusão de que a gente não deu certo porque já tínhamos dado errado muito antes de desistir.
   Porque devíamos dar certo embaixo de um guarda-chuva só, ou numa varanda com uma vista iluminada e casinhas enfeitadas diante de nossos olhos. Porque deveríamos dar certo no meio de uma briga que acabasse com a gente se agarrando como duas pessoas que não suportam a ideia de uma separação, ou abraçados num cantinho qualquer no silêncio. Deveríamos dar certo em qualquer lugar.
  Tá sendo foda, nem achei que seria, mas tá sendo. Se apegar à alguém te torna dependente em altos níveis tóxicos que eu tentei evitar de todas as maneiras. Apaguei as fotos, tentei esquecer o brilho dos seus olhos quando você parava que nem um bobo para me observar e no meio das notas recém achadas do meu celular,  achei um trecho de um textinho meu que dizia "E eu nem sei em qual momento foi mas eu deixei você entrar e eu nem sei em qual momento foi mas eu mostrei muito mais do que estava acostumada a mostrar. Talvez seja você, talvez seja para ser, talvez o meu desastre não tenha nada a ver. Talvez você seja a excessão, talvez você não siga o meu padrão, talvez o meu lado imperfeito tenha sido feito para você então." e foi aí que eu me dei conta de que meu lado imperfeito não foi feito para você e que talvez não seja para ser mesmo e que o porquê simplesmente nunca vá aparecer.


   A gente não deu certo porque a gente não fez dar.




You Might Also Like

0 comentários