PARA VOCÊ (TALVEZ)


Hoje eu te vi de novo. Não sei se você me viu também, mas isso não importa. Eu não suportei olhar para você por mais do que alguns segundos. A única coisa que eu consegui sentir por você foi raiva. Por que você tinha que estar ali, justamente naquele lugar e naquela hora? Por que você decide sumir, mas, ao mesmo tempo, insiste em aparecer?
Fiquei esse tempo todo tentando entender se o que a gente teve foram encontros ou desencontros. Ou até se a gente teve alguma coisa mesmo. Talvez tenha sido tudo na minha cabeça. Porque, na verdade, quem sempre te vê sou eu.
Passei um tempo te procurando. Andava pelos lugares que nós passamos juntos olhando para os rostos de quem passasse, com a esperança de que algum deles fosse você e eu pudesse te parar e fazer todas as perguntas que eu não conseguia aceitar que ficariam sem uma resposta.

Mas um dia eu cansei de me fazer sempre as mesmas perguntas, escolhi deixar elas sem resposta. E, finalmente, sem procurar por você, eu te achei. Dessa vez você cruzou o meu caminho e eu tive a coragem de seguir em frente sem nem olhar para trás. Talvez você tenha me procurado, talvez você tenha me visto, talvez você tenha pensado em me dar as respostas que eu queria. Mas eu não sou uma pessoa que procura por um talvez. E no final foi isso que a gente teve - um talvez. 

...O AMOR QUE TU ME TINHAS ERA POUCO E SE ACABOU


"O anel que tu me destes era vidro e se quebrou
                                             O amor que tu me tinhas era pouco e se acabou."

Eu não poderia imaginar que uma bela cantiga, uma brincadeira de criança, carregava tantas verdades, mas essa sou eu, o meu ponto de vista, de hoje, não de sempre. E esse texto é sobre alguém que fez da minha canção inocente, a verdade mais cruel e egoísta pela qual eu tive que passar. E é também para você que acha que sua dor eterna, ELA NÃO É!
Nós já sabemos - ou deveríamos saber - que ao longo e logo no início da vida temos que lidar com as falsas expectativas, com a desilusão e com os finais nem sempre felizes. Começamos pelo termino da nossa banda favorita, quando um dos integrantes sai ou quando eles dizem "vamos dar um tempo", já sabemos que aquele é o fim, mas quando chega a gente não consegue não sentir, e nosso filme favorito? Passamos anos lendo os livros, acompanhando trailers, vendo blogs e esperando por mais um filme maravilhoso e de tirar o fôlego, e quando acaba? Também sentimos muito. Na verdade sentimos por tudo, mas nunca estamos prontos para o fim, e nem podemos saber como vai acabar, assim é com o colegial, a faculdade, as viagens, os relacionamentos, com a vida. Mas tudo tem uma razão, nada é por acaso e sua tormenta não vai durar para sempre. 
Eu fui boa para você, boa o suficiente para nós dois, fui suficiente para o tanto de amor que tinha e até mais. Eu não me culpo mais, já me culpei um tanto, tanto que caberia para nós dois e sobraria culpa para mais alguém, mas eu parei, eu me parei. E era isso que faltava, ser o bastante apenas pra mim, o que vier que transborde. Eu mereço isso, você também merece, por isso não precisamos nos entregar a essa dor. Precisamos do que da de sobra e não do que cause falta. Eu precisei ser mais, para saber que deixar você ir, apesar do peso em meu coração, era o melhor para nós dois. Teu amor não foi falho, ele nunca existiu, e se existira era pouco, e pouco a pouco o meu se acabou. Por isso eu sigo, e recomendo que todos que se sintam pouco, sigam também, que se encontrem e vejam que o mais para si nunca é demais, e recomendo a você - ex proprietário do meu desamor, que se entregue inteiramente e não se doe mais pela metade. Seja inteiro, seja leve e seja amor. Não seja pouco, não de pouco, alguém do seu lado merece mais e você pode dar mais.
Eu sigo de coração tranquilo, com a certeza de que fiz minha parte, e que reconheci o que merecia. Desejo amor por onde eu passar, e para quem eu olhar, desejo que o mundo transborde, desejo que alguém que esteja sofrendo nesse minuto que se cure de toda a sua dor e se enxergue como alguém especial, que é, e que não se culpe mais, que não se sinta menos, que desperte e seja vida e sempre, sempre amor, muito amor.

SAUDADE DE NÓS

   Eu prometi que te deixaria ir embora. Prometi que não ia mais insistir em nós. Mas dói tanto ficar sem você. Dói tanto saber que a gente não deu certo, que aquela história bonita que a gente estava construindo não existe mais. Acabou.

Quando te conheci tive certeza de que você era "O Cara". O Cara que encheu de borboletas meu estômago, que despertou um sentimento que há tempos não sentia por ninguém. Eu tinha medo de me entregar, mas me entreguei para você, de corpo, alma e coração. Você foi O Cara que virou meu mundo do avesso e fez tudo ficar mais colorido. Sabe aquele lance de alma gêmea? A metade da laranja? Eu achei realmente que você era a pessoa certa. Mas aí O Cara resolveu ir embora e eu fiquei aqui, sozinha.

Por que não deu certo? Até agora não entendi direito o que rolou entre a gente, uma hora estava tudo bem e, do nada, acabou. Cada um para seu lado. Fim.

A nossa sintonia era incrível. A gente se conheceu e a conexão foi mútua, nossos beijos eram intensos, nossos abraços tão reconfortantes, e eu sinto tanta falta disso. Meu corpo se encaixava perfeitamente ao seu, e quando a gente se tocava, parecia que podíamos entrar em combustão de tanto desejo. 

Ah, como eu sinto falta de sentir seu cheiro, seu gosto, seu toque... De olhar em seus olhos, de segurar suas mãos, de ficar de conchinha com você sem pensar em mais nada, de ouvir sua voz dizendo no pé do meu ouvido que queria ficar comigo pelo resto da sua vida. 

Que droga! Por que você tinha que ir embora e deixar tanta coisa para trás? Nós fizemos tantos planos! A gente tinha tantas coisas ainda para viver. Nossa parceria, companheirismo, amizade, para onde foi tudo isso? E o amor? Cadê o amor que você disse que sentia?

Tem tanto de você ainda aqui, dentro dessa casa e também dentro de mim. Eu sinto tanto a sua falta! Não queria, mas sinto tanta saudade de nós.