NAQUELA NOITE..

Eu estava sentada e tinham muitas pessoas a minha volta, elas estavam se divertindo e bebendo... Eu lembro de ouvir risadas, muita conversa e uma música de fundo que parecia cada vez mais distante. Eu me fechei por dentro, mas por fora, ainda sorria. Não havia ninguém suficientemente confiável ou que se importasse, para me ouvir e enxergar através das minhas gargalhadas, aquela de longe foi a minha pior atuação. As pessoas realmente acreditaram na falsa alegria.
A cadeira do meu lado esquerdo estava vaga, e eu torcia para que continuasse assim, isso me livraria de alguma percepção indesejada e minha falta de vontade de dar qualquer explicação. Até que um senhor gentil e delicado se sentou na mesma, ele não parecia cansado, talvez ele tivesse um propósito.. e ele tinha, então o mesmo me abordou e perguntou "o que uma garota tão bonita fazia com os olhos tão carregados de tristeza." Na mesma hora eu gelei! Depois de ouvir aquelas palavras, o nó em minha garganta se fez mais forte, eu queria chorar, eu ia...mas eu respondi, com a voz estupidamente falha, que estava tudo bem.
Dizem que os olhos são a janela da nossa alma. Naquela noite, um estranho, já nem tão estranho assim, enxergou a minha. E eu em silêncio agradeci, alguém ali olhou nos olhos de alguém e viu a verdade. Pela primeira vez naquela noite, alguém olhou em meus olhos e me viu, foi sincero e de longe a reação mais acolhedora que eu tive, e eu sempre serei grata por isso.




NO FUNDO DO POÇO

  
 Hoje eu tive medo. Medo de mim, medo de você. Medo do possível e do impossível. Tive medo dos meus pensamentos e dos seus. Medo da sua resposta e da minha pergunta. Medo de você me amar e me odiar. Medo da minha própria felicidade. Tive medo do futuro e do passado. De que minha vida pudesse virar de cabeça para baixo. Me vi cavando um poço, cada vez mais fundo, pra poder me enfiar nele e não sair nunca mais. Pra não ter que enfrentar todos esses medos que o próprio medo traz com ele, sabe?
  Mas hoje eu venci meu medo. Eu me arrisquei. Eu ouvi suas respostas, fiz minhas perguntas. Esqueci por um tempo de todos os meus pensamentos, e não esperei que você me dissesse os seus. Te amei e te odiei, e não procurei saber o que você sentiu. Eu não tive medo do futuro e nem do passado, porque eu vivi o agora. Eu fui feliz, talvez não pelo resultado, mas por ter conseguido vencer.
   As vezes você só tem que se dar um empurrãozinho. Porque esse poço aonde você está tentando se esconder pode dar em algum lugar. Só basta querer. Tenta entender que a sua felicidade nem sempre vai ser a felicidade dos outros, ela nunca pode se basear em outra pessoa que não seja você. E se você chegar no final do poço e não encontrar o que procurou, cava mais um pouquinho vai, as vezes você acha coisas que nunca pensou em procurar.





ELA NÃO EXIGE SÓ ACERTOS


Ela é como a matemática
Não que seja complicada
Mas tem os seus valores
Ela é delicada

Ela não exige só acertos
Sabe que errando se aprende
Que tudo tem solução
Com paciência se entende

Ela sabe o que quer
Valoriza o momento
Sabe que é mais que um resultado
da força em um deslocamento

Ela quer dividir alegrias
Sua felicidade multiplicar
Diminuir suas tristezas
Ela quer alguém pra somar