ELE ME DEIXA LOUCA


    Você me deixa louca da vida, sabia? Não, não sabia, porque eu nunca te falei. Mas é verdade, você me deixa. Me dá aquela sensação que a gente tem quando sente que vai cair de um precipício. Aquele frio na barriga que é bom e ruim ao mesmo tempo, sabe? Não, não sabe porque eu também nunca tentei te explicar. Mas é, você me dá.
    Você me dá vontade de sair por aí com um violão na mão, cantando para um monte de gente o quanto é bom te conhecer. Me dá vontade de abraçar desconhecidos na rua, de bater palma pra final de comédia romântica, de perder a hora de voltar pra casa. É, você me dá vontade de desligar o mundo inteiro e só olhar para você. Você me dá tranquilidade ao mesmo tempo que me acelera ou me tira o sono.
     Você entende que isso é confuso, não entende? Não, não entende, porque nem eu entendo. Você me deixa confusa assim, sem saber se é começo ou fim, se quero te matar ou te beijar, ou os dois. Você me irrita! Ah, como irrita.. Pena que a saudade é grande mesmo durante a briga. Vai saber como funciona esse meu organismo que floresce quando você tá perto. Meu coração que se parte e se constrói.
     É novo, é esquisito, me deixa morrendo de medo. Mas me dá vontade de sorrir que nem boba pra tela do celular, só por sorrir mesmo. Aquela vontade de querer alguém para tomar café numa tarde chuvosa, e extremamente fria. Sensação de saber que isso transparece nos olhos, quando eu paro para observar e notar que você me deixa encantada. Com borboletas rodopiantes e clichês dentro de mim. Apaixonada? Não, não sei.. Mas louca com certeza, louca por você. 
                          

EU SÓ QUERO PAZ

    Ouvi boatos de que hoje é o dia. Estava sentada na cafeteria da minha rua, tomando um chocolate quente e deliciando-me com meu livrinho com cheirinho de novo, quando ouvi uma senhorinha dizer à outra que lhe desejava "muita paz, mesmo. Do fundo do coração." Eu sorri, é claro. Deixei que um bigode de chantili se formasse por cima dos meus lábios e por uns instantes, nem liguei. 
   Quis me levantar da cadeira e abraçar aquele ser humano. E todos os outros que lá estavam. Quis sair correndo pela rua gritando à plenos pulmões que eu sou muito grata pela minha vida, pela sua vida e pela vida de quem você ama.
  Mas não levantei. Abaixei o olhar e me peguei pensando no quão legal seria poder dizer que todos os dias são dias da paz. Não é hoje. O dia internacional da paz são todos os dias que você pode amar, mas não ama. Pode desejar o bem, mas não deseja. Pode se levantar e abraçar um estranho, mas não abraça.
   Não vou compartilhar imagens bonitas nas redes sociais e nem sair propagando a paz mundial apenas hoje como se eu propagasse todos os dias. Eu vou é realmente propagá-la todos os dias. Amar enquanto eu puder amar. Abraçar enquanto puder abraçar e cuidar enquanto puder cuidar.
  Um dia só no ano pra ser tolerante e compreensivo não vai abaixar as armas e impedir os caixões de serem velados. Não adianta ser educado com o porteiro porque você quer paz e tratar mal alguém que tem uma opinião divergente da sua. Ter empatia pela dor do outro SOMENTE no dia da hoje não vai evitar as mortes de inocentes. Não adianta assistir o noticiário apenas essa noite e sentir-se mal. 

   Não diga que você só quer sua paz, porque a paz individual não existe. Se não estivermos alinhados, nada mais irá estar. Nós temos que querer a paz juntos, de mãos dadas. Temos que olhar pro lado e entendermos que não estamos sozinhos. 
   Eu só quero paz, mas pra todos nós. Quero poder me levantar em uma cafeteria e abraçar pessoas com diferentes opiniões políticas, religiões, cores, culturas e opções sexuais. Quero nem precisar ligar pro bigode de chantili.
   Eu só quero amor, inclusive pra você. 

PRECISAMOS FALAR DE: PRECISAMOS FALAR

   Sempre invejei meus pares
   por terem a cara de pau
   de nunca sugerirem nada.
   Nenhum programa,
   nenhuma posição,
   nenhuma direção.
   Cansei de ser norte.
   Quero ter a paz
   de me afundar na tristeza
   e não ter que fingir alegria o tempo todo.
   Quero me deitar em um colo
   e afundar num silêncio.
   Quero brincar de encarar
   e ver entre os olhos
   alguma sugestão de futuro.
   E só dar selinho.
   Porque selinho dá vontade de ficar.

   Eu não quero me desculpar por transtorno nenhum,
   não quero mais falar sobre nada.

DESCULPE O TRANSTORNO, PRECISO FALAR SOBRE LIVROS

  Para a felicidade dos Isapegados (podem me incluir aí) finalmente acabou o mistério, o terceiro livro da Isabela Freitas já está em pré-venda. "Não se enrola, não" inclusive está entre os mais vendidos no site online da saraiva. Como eu não poderia perder a chance de comprar logo, eu já efetuei meu pedido e espero meu livrinho aqui em casa, mas e vocês, já compraram ou estão enrolados? Para quem não conhece nenhum dos livros ainda, aqui vai uma chance de se apaixonar, de se apegar, se iludir e se enrolar MUITO.
  ♥ ♥
   A minha experiência com o primeiro livro "Não se apega, não" foi única pra mim. Eu me lia em cada página, era incrível. Lembro que eu estava até no consultório da dermatologista enquanto estava lendo, e cada frase que eu absorvia, eu já cutucava a minha mãe dizendo "ô mãaae, olha como parece comigo". Eu me senti super próxima da autora, o que não é muito comum de acontecer. Eu me encantei de cara, engoli o livro em menos de dois dias e não parei de falar sobre ele com as minhas amigas.
   Depois de um tempo, acabei descobrindo que Isabela na verdade se parece com a maioria dos seus leitores, e esse é o dom dela. Ela te faz sentir cada sensação como se estivesse acontecendo contigo naquele momento. Óbvio que isso só aumentou a curiosidade de todo mundo sobre uma possível continuação. E claro, depois de ser um SUPER sucesso de vendas, veio o segundo livro "Não se Iluda, não" que também me marcou de um jeito super especial.
    Eu comecei a torcer por um casal - alerta spoiler - que eu gosto de chamar de Pedrisa (Pedro e Isabela) e não sosseguei até terminar a última palavra da última folha. Confesso até, que senti raiva da Isabela Freitas por ter deixado o gostinho de quero mais, porque eu ODEIO esperar.
  Mas esperei.. e olhe, valeu à pena. Chegou o terceiro livro, que lança oficialmente dia 03/11 e que promete contar a história de uma amizade colorida - SIM, VAI TER PEDRISA - que vai deixar todo mundo tão viciado quanto os outros dois primeiros livros.
   E eu sei que você deve estar pensando que eu sou suspeita pra falar pelo fato de ser colunista do blog dela, mas quando o assunto é livro, eu sou super imparcial. O fato de ter me apaixonado TANTO pelos livros que me levou a me apaixonar pelo blog e me inscrever no concurso. Ou seja, podem confiar em mim quando eu digo que: comprar esses livros vai mudar seu dia, seu modo de pensar e também, vai abrir seu coraçãozinho. 
                             

    "
A vida de Isabela dá uma completa reviravolta depois do sucesso de seu blog, Garota em Preto e Branco. Decidida a perseguir seus sonhos, ela abandona o curso de direito, deixa a casa dos pais, em Juiz de Fora (MG), e se muda para São Paulo tão logo conquista um emprego numa badalada revista on-line. Enquanto se adapta aos novos tempos numa quitinete no Baixo Augusta, Isabela escreve seu primeiro livro. Seria perfeito se no apartamento em frente não morasse o envolvente Pedro Miller e os dois não se embolassem regularmente sob o mesmo lençol. Não, não é namoro. Não, não é apenas amizade. É algo muito mais enrolado, um relacionamento sem um nome definido. Um “isso”, como diz a personagem. Embora não tenha coragem de confessar seus sentimentos, Isabela sabe que está perdidamente apaixonada pelo seu melhor amigo. Após Não se apega, não e a sequência, Não se iluda, não, Isabela Freitas mostra neste Não se enrola, não os primeiros passos de seus personagens na vida adulta, com toda a independência e as responsabilidades que ela proporciona."
Você pode encontrar os livros em:


  

DESTINO, PRECISAMOS CONVERSAR

Destinatário: Senhor Destino
    "Eu apenas acho que o destino deveria ter um tiquinho mais de consideração, sabe? Devia nos permitir a tal da liberdade de escolha. Não deveria ser assim, juntar um ou outro e separar outros trinta sem dó nem piedade. Tudo bem que alguns males realmente vieram para o bem na vida de uns conhecidos e desconhecidos, mas e daí? Ninguém sabe que aquilo ali vai ser maravilhoso daqui dois anos, ou dez. Quando tá acontecendo, quando a vida tá de cabeça pra baixo, a gente só quer enfiar o pé na jaca, chorar e comer todas as porcarias da geladeira.
    Então, senhor Destinho, alteza, meritíssimo, por favor, considere. Considere por um segundo ser aquele homem ali, de palitó e gravata, nervoso no altar. Considere também ser a mulher linda com quem ele está de braços dados. Aquela mesma com a tatuagem que tem o nome dele no ombro. Considere não saber que os dois, em torno de uns dois ou três meses, estarão separados porque ele é viciado em trabalho, e deixa as meias sujas do futebol espalhadas pela casa. Ou porque ela reclama demais. Considere ser aquele casal ali, trocando alianças sem ter a mínima ideia de que não foram feitos um pro outro. Ele é a alma gêmea de uma norueguesa que só virá à esbarrar com ele no trabalho daqui uns anos, e ela é alma gêmea de um homem que no momento, também se casou com a mulher errada. VAI ENTENDER, DESTINO, COMO É NÃO SABER DAS COISAS. Porque pra ti é fácil, ficar sentado com pipoca e refri, rindo dos tropeços que você mesmo preparou pelas nossas vidas. Assistir um mix de comédica romântica, drama, terror e aventura realmente é uma nada mole vida, então imagine quem está aqui atuando pra você. É difícil para nós, aquela baboseira toda de "o destino reservou o melhor pro final". Confiar no que a gente não sabe exige uma puta coragem. Ir dormir acreditando que aquele problema vai embora e uma coisa melhor surgirá no futuro exige uma puta fé também..     Mas a gente continua aqui, porque nos botamos no seu lugar, Senhor Destino. A consideração é grande pra quem tá aqui brincando de fantoche nessa vida super louca e atribulada. Então, seu Destino, antes de mexer muito com os nossos corações, nos dê uma folguinha básica e preencha nossas vidas com aqueles milagres diários chamados de "sorrisos". Ou, apenas se prepare para um carta de reclamação ao seu superior em breve..
 PS: Desconsidere a mensagem se estiver ocupado demais escrevendo a minha história, porque eu sei que independente das reviravoltas, ela é boa para caramba!"
☯☯☯
HEY MEUS AMORES, esse foi o primeiro texto do PARA SEMPRE COM ALICE, TÔ DESMAIADA! Basicamente, serão uns monólogos bem aleatórios sobre as coisas que todo mundo passa na vida. Sou geminiana (para quem acredita em signo, me amem) e tenho tendência a mudar de ideia rapidamente durante o desenvolvimento do pensamento, mas prometo que vocês vão conseguir acompanhar (♥)     O texto de hoje foi mais uma brincaderinha mesmo. Eu super confio no destino e no que ele tem reservado pro meu futuro. Acredito que sempre, não importa o quão ruim seja a situação, também temos o lado bom que nos equilibra e nos ajuda a passar por qualquer coisa. Acredito também que muitas vezes não conseguimos enxergá-lo, mas está lá, nos pequenos e lindos detalhes do dia-a-dia.     Muitos beijos, e muitos pequenos milagres.     Pra quem quiser me mandar um email: duzentaslinhas@gmail.com

O que você falaria pro destino?